Tanta Tinta de Cecília Meireles


Ah! Menina tonta,
  toda suja de tinta
  mal o sol desponta!
 
  (Sentou-se na ponte,
  muito desatenta...
  E agora se espanta:
  Quem é que a ponte pinta
  Com tanta tinta?...)
 
  A ponte aponta
  e se desaponta.
  A tontinha tenta
  limpar a tinta,
  ponto por ponto
  e pinta por pinta...
 
  Ah! A menina tonta!
  Não viu a tinta da ponte!

Obs.: Caso alguém queira os poemas (em áudio) do livro Cecília Meireles, envie um e-mail para institutoveritas@institutoveritas.net
Lembro que este serviço é gratuito.

Um comentário:

  1. amo Cecília Meirelesssss
    muito bom,
    conteúdo de excelente qualidadeeeeee

    ResponderExcluir