ALFABETIZANDO COM CONTOS DE TERROR DA CULTURA POPULAR BRASILEIRA



A cultura popular brasileira, em suas diversas manifestações, está sempre presente em minhas aulas durante todo o ano. Nunca espero o mês de agosto para explorar com os alunos a beleza e a riqueza de nossa maravilhosa cultura. São cantigas, histórias, danças, festas, lendas, ritmos, brincadeiras, saberes populares, crenças, hábitos de vida, comidas e muito conteúdo que permanece vivo de geração a geração. Minha cabeça fervilha de ideias para explorar tudo isso na alfabetização de meus alunos. Tenho em casa um bom acervo de obras sobre a Cultura Popular Brasileira. São CD’s, livros, imagens, historias que coletei com os alunos e suas famílias, etc. Considero tudo um tesouro!

ENSINAR HISTÓRIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL



ENSINAR HISTÓRIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Quantas vezes pronunciamos história em um dia? No nosso cotidiano, empregamos a palavra história com vários sentidos, mas dois se sobressaem. O primeiro é vida. Evidentemente, não vida biológica, pura e simples. Mas, vida no sentido social: pensar, agir e sentir. Temos consciência de que estamos vivos quando constatamos que pensamos, tomamos decisões e experimentamos sentimentos vários como a dor e o amor. Vida, nesse sentido, é história e viver, consequentemente, é construir história.

11 PLANOS DE AULA SOBRE MEIO AMBIENTE



11 PLANOS DE AULA SOBRE MEIO AMBIENTE

Veja como trabalhar questões ligadas a esse assunto na escola

Produção de resíduos, sustentabilidade, efeito estufa e poluição podem ser grandes assuntos para abordar na sala. Além de serem questões reais e urgentes, que estão constantemente presentes nas notícias publicadas na mídia, esses temas podem ser um instigante ponto de partida nas aulas de Ciências, Biologia, Química, Informática e até Língua Portuguesa.

DEBATE: ENSINO MÉDIO FLEXÍVEL VAI AJUDAR NA ESCOLHA PROFISSIONAL?



DEBATE: ENSINO MÉDIO FLEXÍVEL VAI AJUDAR NA ESCOLHA PROFISSIONAL?
Diretores de colégios discutem prós e contras do modelo de itinerários formativos e do aconselhamento vocacional
As novas regras do ensino médio devem aumentar a importância do aconselhamento vocacional nas escolas. Agora, além de orientar para a escolha da profissão, a tutoria deve ajudar o estudante a escolher entre cinco áreas de interesse: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, ou ensino técnico.
O novo modelo divide opiniões entre educadores. Para alguns, a divisão do ensino entre itinerários formativos não garante a motivação do aluno. Outros defendem a flexibilização do currículo como a melhor solução para o abandono escolar, que tem no ensino médio a maior proporção entre todas as etapas da educação básica. Tampouco há consenso sobre o formato ideal que a tutoria deve assumir após a reforma.

A "alegoria da caverna"



"alegoria da caverna" é porventura o texto mais lido de Platão, quiçá o mais comentado de toda a história da filosofia. Ao contrário do que muitos julgam, não se trata de uma obra do filósofo grego, mas de um excerto retirado da monumental "República", escrita na sua fase de maturidade. O texto constrói-se por antinomias - luz, sombras; realidade, aparência; saber, ignorância; libertação, escravidão; etc. - e constitui um dos pilares da metafísica. Por isso mesmo, é um texto de iniciação à filosofia por excelência. Aqui deixo um vídeo que serve de incentivo à sua leitura. Boa leitura. 



EaD e o futuro da educação: o uso da tecnologia na aprendizagem



EaD e o futuro da educação: o uso da tecnologia na aprendizagem

O ensino está ganhando novas formas. Entre as razões para isso, estão as mudanças sociais e culturais que vêm acontecendo naturalmente ao longo dos anos e que impactam na relação de ensino-aprendizagem. Um dos principais aspectos, nesse sentido, é o desenvolvimento tecnológico que tem revolucionado a educação a distância (EaD), permitindo que os cursos sejam mais interativos e o desempenho dos alunos seja devidamente acompanhado, como já ocorre no método presencial. Consequentemente, os resultados são altamente eficazes, fazendo com que a EaD e o futuro da educação estejam intrinsecamente relacionados.

REFORMA DO ENSINO MÉDIO ESBARRA EM FALTA DE ESTRUTURA E RECURSOS



REFORMA DO ENSINO MÉDIO ESBARRA EM FALTA DE ESTRUTURA E RECURSOS

Maioria dos municípios brasileiros têm apenas uma escola de ensino médio; turno triplo está presente em 41,9% das unidades e só 54,9% dos professores têm formação na disciplina em que atuam

PASSA QUATRO (MG) - Depois de sancionada, a reforma do ensino médio passará agora por uma série de entraves e desafios para ser implementada, de fato, pelos Estados brasileiros. Enquanto a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) não é aprovada – peça-chave para que as mudanças comecem –, secretários já se reúnem nos Estados para pensar em como implementar a transformação em suas redes, especialmente nas mais desiguais, com muitas cidades pequenas, poucas escolas e recursos e grande concentração de alunos. 

Nem 1%, nem 80%: a real taxa de analfabetismo funcional entre universitários

Filósofo Olavo de Carvalho gerou debate ao mencionar dado na Brazil Conference, em Harvard RODOLFO BUHRER GAZETA DO POVO
Nem 1%, nem 80%: a real taxa de analfabetismo funcional entre universitários
Estudos recentes sobre o assunto apresentam número bem menor do que o mencionado por Olavo de Carvalho, mas o cenário geral é muito ruim
Em abril, durante a Brazil Conference, em Harvard, o filósofo Olavo de Carvalho afirmou que 80% dos formandos de universidades brasileiras são analfabetos funcionais. Ao final, ele foi contestado por uma integrante da plateia, que apresentou um dado muito diferente: o índice entre os universitários seria de apenas 1%. Objetivamente, quem está certo? A resposta curta é esta: nenhum dos dois.

Michel Foucault, um crítico da instituição escolar


Michel Foucault, um crítico da instituição escolar

Por meio de uma análise histórica inovadora, o filósofo francês viu na educação moderna atitudes de vigilância e adestramento do corpo e da mente

Formação online é cada vez mais procurada por estudantes


Formação online é cada vez mais procurada por estudantes
Com a crescente familiaridade com a tecnologia e uma confiança maior nos cursos a distância, modalidade vem crescendo

SÃO PAULO - No início, os cursos eram poucos e a desconfiança era muita. A cada ano, a oferta aumenta, os interessados se multiplicam e a aceitação do próprio mercado de trabalho avaliza a educação a distância como uma forma segura de aprendizado. Nos anos recentes, enquanto o ensino presencial registrou uma sensível queda no número de matrículas, os cursos de EAD - como o nome da modalidade é abreviado - chegaram a 5 milhões de alunos em 2015, na soma entre cursos livres e regulamentados. Esse número representa um aumento de mais de 20% em relação ao registrado no ano anterior. A maior parte dos estudantes a distância está matriculada na graduação.

“SEMINÁRIO VIRTUAL NACIONAL: DESAFIOS DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI” de 01 a 14 de Julho de 2017


O “SEMINÁRIO VIRTUAL NACIONAL: DESAFIOS DA EDUAÇÃO PARA O SÉCULO XXI” é promovido pelo Instituto Veritas (www.institutoveritas.net). O Instituto Veritas é uma instituição de formação continuada fundada em 1994. Desenvolve suas atividades em âmbito nacional por meio de cursos de formação continuada a distância, semi-presencial e presencial nas áreas de Educação, Ciências Humanas e Administração.

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR É INOVADORA, MAS IMPLANTÁ-LA DEVE SER UM DESAFIO

Base Nacional Comum Curricular é inovadora, mas implantá-la deve ser um desafio  |  Fonte: Universia Brasil
BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR É INOVADORA, MAS IMPLANTÁ-LA DEVE SER UM DESAFIO

Base Nacional Comum Curricular é inovadora, mas implantá-la deve ser um desafio, diz fundador do Programa Semente

Base Nacional Comum Curricular é inovadora, mas implantá-la deve ser um desafio  |  Fonte: Universia Brasil

16
O Ministério da Educação divulgou nessa quinta-feira (6) a terceira versão da Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Infantil e Fundamental. O documento prevê a adoção de 10 competências gerais em adição aos conteúdos tradicionais do ensino, que também foram revisados. Para entender melhor o tema, a Universia Brasil conversou com o fundador do Programa Semente, Eduardo Calbucci. Para ele, a Base Nacional Comum Curricular é inovadora, mas implantá-la deve ser um desafio.

COMO MOTIVAR ESTUDANTES DO 6.º AO 9.º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL


COMO MOTIVAR ESTUDANTES DO 6.º AO 9.º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
Alunos de 11 a 15 anos ficam motivados a estudar quando sabem o sentido do que aprendem e conseguem relacionar com benefícios no futuro

Não é preciso exagerar e ser um palhaço em sala de aula para convencer alunos de 11 a 15 anos, na entrada da adolescência e com interesses muito diferentes dos propostos no currículo do 6.º ao 9.º ano do ensino fundamental, a estudarem. O segredo do sucesso é acessível e difícil: mostrar para que servem os conteúdos e relacioná-los com os interesses dos estudantes.

Responsabilidade jurídica dos pais, professores e escola: legislação, processo, doutrina e decisões judiciais



A obra “Responsabilidade jurídica dos pais, professores e escola: legislação, processo, doutrina e decisões judiciais” surgiu devido a percepção de um dos autores, advogado e professor Vilmar Urbaneski, que na sua atuação no campo educacional (mais de 18 anos no Ensino Médio),  verificou que no cotidiano escolar, em muitos casos,  há um aparente desconhecimento dos pais e professores quanto as suas responsabilidades de cunho jurídico, bem como a falta de uma compilação dos principais artigos de lei que tratam o assunto nos diversos ramos do Direito  no Brasil. 

Mário Sérgio Cortella: Na educação começamos a sair da indigência



Mário Sérgio Cortella: Na educação começamos a sair da indigência

Segue trechos da entrevista:

PROMOÇÃO OFF 25% - INSTITUTO VERITAS


PROMOÇÃO OFF 25% - INSTITUTO VERITAS

Neste final de semana, o Instituto Veritas oferece o curso A Inclusão de Crianças com Necessidades Especiais e Problemas de Aprendizagem - 120 HORAS/AULA com 25% de Desconto. Este excelente curso é direcionado a profissionais da área da pedagogia, assistentes sociais e professores que trabalham com a inclusão de deficientes. 

“Se você viver poeticamente encontrará felicidade” – Edgar Morin



“Se você viver poeticamente encontrará felicidade” – Edgar Morin

Edgar Morin nos auxilia nesta reflexão, comentando sobre o quão frágil e complexa é a felicidade. Para ele, esta busca contínua é impossível, pois a felicidade depende de uma multiplicidade de condições. O que devemos fazer é favorecer os elementos que permitam uma vida poética, buscando o que nos faz florescer, o que nos faz amar e nos comunicar:

Especialistas desconstroem propaganda do MEC sobre reforma do ensino médio



Especialistas desconstroem propaganda do MEC sobre reforma do ensino médio

Estudiosos em políticas públicas no setor rebatem argumentos usados pelo Ministério da Educação

O Ministério da Educação está veiculando uma propaganda sobre a reforma do ensino médio. Na peça, de apenas um minuto, um estudante chama a atenção da classe perguntando se todos conhecem “o novo ensino médio” baseado “nas experiências de vários países” e que “vai deixar o aprendizado muito mais estimulante e compatível com a realidade dos jovens de hoje”. Depois, segue falando da flexibilidade do currículo, apresentando que, além do conteúdo obrigatório, que será definido pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o secundarista vai “ter liberdade” de escolher uma entre quatro áreas de conhecimento para se aprofundar, salientando que os colegas que quiserem se preparar para mercado de trabalho, terão a opção de cursar “uma formação técnica profissional, com aulas teóricas e práticas”.

Cortella: ‘A escola passou a ser vista como um espaço de salvação’



Cortella: ‘A escola passou a ser vista como um espaço de salvação’

O filósofo, educador e professor Mario Sergio Cortella alerta que as famílias estão confundindo escolarização com educação; para ele, pais devem retomar seu papel
SÃO PAULO - As expectativas das famílias em relação às escolas e o que elas oferecem - ou são, de fato, capazes de ofertar - está em descompasso. De um lado, há adultos cada vez menos presentes, seja pelo excesso de trabalho, pelos longos deslocamentos nas megalópoles ou até pela falta de paciência, que esperam que a escola ensine o conteúdo obrigatório e eduque os seus filhos. Do outro, as instituições se desdobram para dar conta de uma infinidade de disciplinas regulares e ainda são cobradas a disciplinar os alunos e abordar temas considerados pertinentes. Tudo em quatro horas diárias.